Jacó e Labão – Hendrick Terbrugghen

Hendrick Jansz ter Brugghen, ou Terbrugghen (1588-1629), foi um pintor holandês. Dentre os pintores holandeses que assumiram o estilo de Caravaggio, ele foi um dos mais proeminentes. Depois do tempo que passou em Roma, algumas das obras de Terbrugghen recorrem ao chiaroscuro característico de Caravaggio. O chiaroscuro reproduz na pintura a passagem da luz que ocorre nos objetos reais, simulando assim seu volume.

Jacob Reproaching Laban, 1627, Hendrick Jansz ter Brugghen

Jacob Reproaching Laban, 1627, Hendrick Jansz ter Brugghen (or Terbrugghen, Dutch Baroque Era Painter, ca.1588-1629), oil on canvas, 62.01 inch wide x 48.62 inch high, National Gallery, London

Em 1627, Terbrugghen assinou sua obra Jacó Reprovando Labão (Jacob Reproaching Laban). A tela retrata, em cenário e figurino de época, o episódio narrado em Gênesis 29. Nesta retratação do episódio, observe que Jacó está em pé, vestido de vermelho. Ele é a figura mais destacada, tendo o dedo indicador direito em riste, e a mão esquerda apoiada sobre o cajado de pastor, encostado à mesa (onde colocou o véu de Lia), como a ditar o ritmo da situação. Com a figura de seu tio Labão assentado, reagindo, e apoiado sobre o bordão dos idosos, o quadro mostra um Jacó na ofensiva. Lia está de lado, mais próxima de seu pai, e não olha para os protagonistas. A mesa está posta.

Labão tinha duas filhas: a mais velha se chamava Lia e a mais nova, Raquel. Os olhos de Lia eram baços, mas Raquel tinha um belo porte e belo rosto. E Jacó amou Raquel… “Eu te servirei sete anos por Raquel, tua filha mais nova”… Jacó serviu então, por Raquel, durante sete anos, que lhe pareceram alguns dias, de tal modo que ele a amava. Depois Jacó disse a Labão: “Dá-me minha mulher, pois venceu o prazo, e que eu viva com ela!” Labão reuniu todos os homens do lugar e deu um banquete. Mas eis que de noite ele tomou sua filha Lia e a conduziu a Jacó; e este se uniu a ela… Chegou a manhã, e eis que era Lia! Jacó disse a Labão: “Que me fizeste? Não foi por Raquel que eu servi em tua casa? Por que me enganaste?”Labão respondeu: “Não é uso em nossa região casar-se a mais nova antes da mais velha. Mas acaba esta semana de núpcias e te darei também a outra  como prêmio pelo serviço que farás em minha casa durante mais sete outros anos”. Jacó fez assim: acabou essa semana de núpcias e Labão lhe deu sua filha Raquel como mulher… Jacó uniu-se também a Raquel e amou Raquel mais do que a Lia; ele serviu na casa de seu tio ainda outros sete anos.

(Tradução de A Bíblia de Jerusalém. Itálicos meus para o momento retratado por Terbrugghen).  

Jacob Reproaching Laban, 1628, Hendrick Jansz ter Brugghen

Jacob Reproaching Laban, 1628, Hendrick Jansz ter Brugghen (or Terbrugghen, Dutch Baroque Era Painter, ca.1588-1629),oil on canvas, 123,5 X 157,5 cm, Wallraf-Richartz Museum, Cologne

No ano seguinte, pouco antes de sua morte, Terbrugghen retoma o mesmo tema, numa obra imensamente rica. Em Jacó Reprovando Labão (Jacob Reproaching Laban), 1628, a cena dá-se novamente ao redor de uma mesa posta, onde o véu de Lia recebe destaque. A figura agora proeminente é Labão. As cores das vestes dos dois protagonistas se invertem. Labão agora veste-se de vermelho. Observe também que o longo cajado de pastor, que na versão anterior estava em mãos de Jacó, agora está com Labão. Este, embora permaneça assentado, é a figura mais ofensiva, com seu dedo indicador esquerdo em riste. Perceba que Jacó tem o aspecto de quem reage. Lia está com seus olhos característicos, e continua não fitando os protagonistas, embora nesta tela ao lado do marido. Observe ainda dois outros detalhes importantes nessa tela: Terbrugghen passa a perna de Labão sobre o cajado, onde ela repousa. E ao lado de Labão, como a imitar-lhe a postura e a direção do olhar, está um cão. Uma dupla em perfeito compasso. Um cão, já que não cabia ali uma raposa… Alguém que viu esta tela chegou a acrescentar: “E observe que o cachorro roeu o osso!”.

Um mesmo episódio está em foco, e o tio e o sobrinho são retratados de forma diferente em cada uma das telas. A segunda obra tratava-se de uma releitura? De alguma maneira, ao longo da vida podemos obter uma nova perspectiva sobre algumas coisas, ou mesmo acentuar momentos diferentes de um mesmo episódio ou fenômeno, não é verdade?

Antes do holandês Terbrugghen, o português Luís de Camões (1524-1580) oferecia uma percepção interessante em seu Soneto XXIX.